Taxonomia de Bloom e a Consultoria de Imagem

Já parou para pensar que o processo de qualquer consultoria envolve aprendizado?

Um consultor contratado tem o papel de oferecer seu conhecimento técnico a cerca de determinado assunto e assim comunicar e educar o consultado.


Em muitos casos, a consultoria oferece o conhecimento dependente e não o conhecimento autônomo.


Se você deseja oferecer conhecimento autônomo, sirva-se da taxonomia de bloom para seguir uma boa trilha do conhecimento e assim, certificar-se que o que ofereceu está consolidado.


Primeiramente é interessante saber que a taxonomia de bloom foi um trabalho que aconteceu em 1956 onde diversas universidades norte-americanas lideradas por Benjamin S. Bloom onde os objetivos educacionais foram organizados por hierarquia. Pode-se também compreender esse trabalho como a trilha do conhecimento, onde a chegada na reta final depende do primeiro passo.


Diante disso, conheça os níveis envolvidos no aprendizado de forma a aplicá-los em seus atendimentos.



1- Recordar/ Reconhecer

O primeiro passo para o aprendizado é trazer à memória da sua cliente algo que possa ser associado ao que será apresentado.

Estar familiarizado com um assunto permite não apenas um maior engajamento como também o poder de associação. É como você dizer: "vamos dirigir por essa estrada, mas não se preocupe, ela é muito parecida com aquela que você pega para ir à casa dos seus pais."

Dessa forma sua cliente se sente capaz e encorajada a seguir diante.


2- Compreender/ Reproduzir

Ao recordar, peça que identifique o que está sendo apresentado. Sua cliente poderá localizar em suas memórias algo que seja muito parecido.

Ainda no exemplo da estrada, ela pode perguntar-se: "mas você está falando da autoestrada ou da estrada que corta por dentro?".

Para garantir total segurança, ajude-a a esclarecer o que está sendo dito e apresentado. Assim, não será apenas um passo de compreensão mas também de possibilidade de reprodução.


3- Aplicar/ Praticar

Muitos profissionais da consultoria de imagem não trilham com seus clientes esse nível.

A etapa da aplicação e prática acontece, muitas vezes, apenas na reprodução e não na interpretação.

Reproduzir é ver e copiar.

Imagine que você foi ao teatro, assistiu à uma cena e reproduziu tudo que foi visto. Reproduziu os sentimentos, as expressões, o figurino.

A interpretação tem a ver com seu toque especial. A peça de teatro agora, é o roteiro que você recebeu e as expressões serão dadas ao seu compasso.

A aplicação permite que o conhecimento encontre um lugar que lhe faz sentido em sua mente, mas que você encontrou espaço.

Como alguém que deseja aprender a andar de bicicleta precisa experimentar o equilíbrio por si só, o aprendizado é o mesmo, precisa ser praticado.


4- Analisar/ Criticar

Após a prática do que foi orientado é preciso analisar e criticar. O que vale para si e o que não vale? O que encaixa com sua realidade, com seu estilo de vida e se encaixa com o conhecimento que já possui. Essa etapa consiste em provar o conhecimento e perceber sua veracidade.

Sabe quanto você diz pra uma cliente que amarelo e roxo combinam e ela faz cara de espanto?

Quando apenas mostra a imagem ela pode até concordar, mas aquilo não significou muito, mas se ela experimenta a combinação, seja com peças de roupas ou ferramentas que possibilitem a experimentação, ao visualizar a imagem que ela mesma montou, será possível analisar e ponderar se é aprazível aos olhos e realmente harmonioso.

Esse processo faz muito mais sentido, certo?!


5- Criar/ Sistematizar

Ao perceber por sua própria iniciativa que o amarelo harmoniza com roxo e provar que de fato o é, agora é hora de criar novas possibilidades com o conhecimento adquirido. Por que harmonizam? Harmoniza por que conheceu uma ferramenta que lhe permitiu o trajeto a esse resultado, o que mais pode-se fazer?

É no estágio da criação que sua cliente receberá toda a energia do aprendizado, que perceberá tudo o que pode fazer como que aprendeu e recebeu do seu conhecimento técnico.

É o momento da mágica, do encanto e da realização.

Desfrute desse momento com seus clientes, permita e explore o que seu cliente pode fazer.


6- Avaliar/ Validar

A última etapa do processo do aprendizado é validar. É dar sinal verde a essa nova ideia, esse novo caminho que foi criado.

É dar lugar devido para o novo aprendizado e permitir que ele conecte-se com outras ideias e crie outras novas possibilidades.

A avaliação e validação fica à cargo de quem aprendeu, unicamente de quem aprendeu.



Como você pode aprender esse novo conceito?

Recordando de um atendimento realizado.

Compreendendo como você direcionou o conteúdo.

Aplicando a taxonomia de bloom de forma hipotética.

Analisando o que poderia ter sido diferente.

Criando um novo fluxo para seus atendimentos.

E agora sim, sair e validar seu novo método.


Pronta?!

59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo